Projeto do deputado Fábio Cherem auxilia pacientes que aguardam por transplante de medula óssea

Fábio Cherem (deputado estadual PSD/MG)

O projeto de lei nº 1607/2015 do deputado Fábio Cherem que incentiva a doação de medula óssea é implementado e se torna Lei Estadual em Minas Gerais. Aprovada na Assembleia Legislativa, a nova lei obriga todos os estabelecimentos que fazem parte da Rede Estadual de Serviços de Hematologia e Hemoterapia a orientarem os doadores sobre a importância dos mesmos se cadastrarem no Registro Nacional dos Doadores de Medula (Redome). O Redome é um banco de dados criado pelo Governo Federal em 1993 que cruza as informações dos pacientes à espera de transplante com as informações dos doadores, auxiliando na identificação de compatibilidade.

As chances para quem aguarda por um transplante de medula óssea em localizar um doador compatível que não seja membro da família é de 1 para 1000. Para se ter uma ideia, o Instituto Nacional de Câncer acredita que as chances de encontrar um doador de medula entre familiares chegam até 35%, muito além dos 0,1% de doadores que não são parentes, daí a importância do cadastro no Redome.

O transplante de medula óssea é um dos tipos de tratamentos propostos para doenças que afetam o sangue, como a leucemia, e as células do sistema imunológico, como os linfomas. O tratamento auxilia na reconstituição dos glóbulos vermelhos e brancos e das plaquetas dos pacientes.

“A medida faz com que os estabelecimentos da rede estadual divulguem e incentivem o cadastro dos doadores no Redome. As chances de que se consiga a compatibilidade desejada entre pacientes e doadores ainda são baixas, mas como muitas pessoas doam sangue nós vamos aumentar consideravelmente as informações do nosso banco de dados, aumentando também as chances de localizar aquele doador compatível. Acredito que assim estamos ajudando muita gente”, resume o deputado Fábio Cherem.

       

Deixe seu comentário